Por Que Devemos Perseverar em Oração? – Fale com Deus

 

Jesus obviamente está nos dizendo que nós também precisamos perseverar na oração. Mas o significado mais profundo de sua mensagem está no contraste entre o juiz da parábola e nosso Pai Celestial. Em nenhum lugar Jesus diz ou mesmo sugere que o juiz representa nosso Pai Celestial.

Em vez disso, Jesus usa o juiz para estabelecer um contraste com o Pai – como Ele faz na parábola do amigo persistente. A mensagem com o juiz é: “Se esse juiz perverso fará o que é certo apenas por causa da persistência da mulher, não é ainda provável que seu amoroso Pai faça o que é certo se você também for persistente?”

Então precisamos perseverar em oração por motivos diferentes da viúva

A mulher teve de perseverar porque o juiz iníquo não respondia e não estava inclinado a fazer o que era bom e certo. Ela perseverou porque não confiava nele. No final, o juiz perverso respondeu apenas para tirar a mulher de suas costas.

Em contraste, nosso Pai Celestial atrasa sua resposta por motivos muito diferentes. Seus atrasos são, na verdade, para o nosso bem! Deus não apenas sabe do que precisamos, mas também quando precisamos. Jesus sugere fortemente que devemos basear nossa perseverança na oração na confiança.

Se um juiz perverso e corrupto responderá a uma viúva perseverante, não podemos confiar que nosso amoroso Deus responderá às nossas necessidades mesmo quando tivermos que esperar por elas? A perseverança baseada na confiança é uma coisa mais segura.

Sua oração é confiante ou egoísta?

No entanto, se crescermos em um senso de direito em nossa oração e começarmos a perder a esperança porque percebemos que Deus demora em responder a nós, nossa oração se torna egoísta e não vem de um lugar de esperança (confiança) ou fé (compromisso). É por isso que Jesus pergunta: “No entanto, o Filho do homem, quando vier, achará fé na terra?”

Então, qual é a sua resposta quando você acha que suas orações não foram atendidas? Sua fé em Deus vacila? Você fica com raiva dele por não te ouvir? Ou você confia na graça e na virtude da fé e da esperança, abaixa a cabeça e persevera na oração porque sabe que pode confiar em Deus para cuidar de você?

Ideia Principal: Deus quer que confiemos Nele

A confiança é o primeiro passo de um relacionamento com Deus que nos levará à santidade. E uma ótima maneira de se comprometer a crescer em santidade é estabelecer hábitos que abram seu coração para o que Deus quer fazer em você por meio de sua graça.

E uma maneira fácil de desenvolver esses hábitos é usar um modelo comportamental comprovado.

Portanto, gostaria de convidá-lo a pegar um conjunto de modelos comportamentais que podem ajudá-lo a desenvolver um hábito importante em cada uma das cinco áreas-chave da espiritualidade católica. Você obterá um diagrama fácil de seguir que o guiará passo a passo pela formação do hábito.

Comentários Recentes

Postagens Mais Recentes

Siga nossa Página